Terapias Complementares para o Parkinson – Fonoaudiologia

A doença de Parkinson (DP) é uma condição neurológica, crônica e progressiva que afeta os circuitos cerebrais responsáveis pelo controle motor do movimento humano. Comumente os pacientes com DP, após alguns anos do início da doença, podem apresentar dificuldade na comunicação oral que depende do funcionamento dos aspectos de:

Voz, Articulação e Deglutição

• Respiração
• Fonação (voz)
• Articulação (fala)
• Salivação
• Disfagia (dificuldades ao engolir)
• Linguagem
• Cognição.

As características VOCAIS mais frequentes em pacientes com DP descritas na literatura são: tremor vocal, monotonia de frequência, volume reduzido e qualidade de voz rouca e soprosa.
As alterações vocais apresentadas pelos pacientes com DP, quando associadas a alterações na respiração, articulação, ressonância, prosódia e / ou fluência, são características de DISARTRIA.
A disartria é um distúrbio neurológico que afeta a comunicação oral devido a déficits no controle dos músculos da fala. A disartria presente na DP é classificada como hipocinética, pois apresenta imprecisão na articulação de consoantes, ressonância hipernasal, alterações na fluência e velocidade variável da fala. Existem avaliações precoces e tratamentos na fonoaudiologia disponíveis para minimizar seus sintomas e melhorar a qualidade de vida dos pacientes.
Na DEGLUTIÇÃO pode haver dificuldade na mastigação dos alimentos, engasgos, tosses ou pigarros, perda de saliva, seu acúmulo ou espessamento Então através de orientações e exercícios os pacientes aumentam o volume da voz, articulando melhor e consequentemente melhorara sua comunicação.
Com a adequada deglutição, além de melhorar seu estado nutricional evitará problemas de broncoaspiração e pneumonias.

As orientações sobre como lidar com os pacientes no dia a dia são super importantes pois o convívio maior é com cuidadores e familiares.

Devido à rigidez dos músculos da face e laringe, intensidade da voz reduzida, voz monótona, alterações na velocidade de fala, dificuldade de articular e pronunciar palavras, a comunicação pode ficar prejudicada e incompreensível, tento de ser repetida ou a voz fica muito baixa … Então:

• Procure falar alto: Aumente seu volume de voz.
• Articule melhor as palavras: Exagere na fala mais clara, aberta e audível.
• Velocidade de fala: A fala rápida ou lenta pode deixar a fala incompreensível ou monótona.
• Postura adequada: Fale de frente. Respire. Pense em expressar se facialmente. Postura ereta.
• Beba muita água para a voz e para aliviar o pigarro: Evite pigarrear

Efeitos colaterais da Cirurgia. Podem acontecer?

A Estimulação Cerebral Profunda (DBS) mostra resultados satisfatórios para sintomas cardinais motores; no entanto, as descobertas sobre seu impacto na comunicação oral de indivíduos implantados são limitadas, demonstrando que a DBS pode afetar positiva ou negativamente a comunicação, principalmente em pacientes que tem os aspectos de fala, articulação, voz, disfagia, salivação e cognição alterados antes da cirurgia. Por isso a avaliação fonoaudiológica linguística cognitiva e de aspectos motores pré e pós cirúrgica é importante para que os pacientes ingressem em terapia para obter efeitos rápidos.
Por Dra. Carla Giacominelli, fonoaudióloga (carlareab.com.br).