Reiki

Reiki é a antiga prática de canalizar a energia universal – ou ‘Chi’ – para curar e harmonizar o corpo. Diz-se que restaura o equilíbrio, balanceando as sete chakras (centros de energia) principais no corpo. Isso funciona na conexão entre mente e corpo, com a crença de que aprofundar o poder da mente pode ser uma das melhores ferramentas de cura.

Há pouca pesquisa sobre os benefícios do Reiki para a doença de Parkinson, embora alguns estudos da população em geral têm mostrado ajudar com o alívio da dor, humor e depressão.

Muitos acreditam que o Reiki pode desencadear sentimentos de conforto, calma e uma sensação de estar no controle, que é um benefício óbvio para a família e cuidadores também.

Sua energia é a cura da mente, corpo e alma:

  • Mente: o Reiki acalma a mente e alivia o estresse, harmonizando e equilibrando seu estado emocional.
  • Corpo: a energia do Reiki ajuda a nutrir e curar o tecido danificado e estimula a cura natural do corpo e dos processos de desintoxicação. Ele pode ajudar a liberar qualquer bloqueio de energia.
  • Alma: o Reiki canaliza a ‘energia vital’ e se compromete com a alma, nutrindo suavemente e curando profundamente o interior.

Alguns dos benefícios potenciais para a doença de Parkinson, citados pelos mestres de Reiki, são:

  • A canalização da energia do Reiki na parte do cérebro que regula os níveis de dopamina;
  • Melhoras na função da barreira sangue-cérebro para que o medicamento possa ser entregue de forma mais eficiente ao cérebro;
  • Melhorar a vitalidade do corpo e os processos de cura natural através da canalização de energia para os órgãos afetados pelos medicamentos.

Cada pessoa vai reagir de maneira diferente a este tratamento, mas ajuda com o relaxamento profundo e melhora a vitalidade. Como é um método de canalizar energia positiva, pode ser uma boa maneira de combater os sentimentos negativos que podem influenciar a depressão.

Já que o Reiki é não-invasivo, é considerado seguro.