Pilates

Pilates é um método de exercício de baixo impacto para melhorar a saúde física e mental. Este é um sistema de controle do corpo que ensina as pessoas a usarem seus músculos de forma mais eficiente, através do realinhamento e correção da má postura.

Há pesquisas muito limitadas sobre os benefícios do Pilates para a doença de Parkinson, e cada pessoa vai reagir ao tratamento de maneira diferente. Muitas pessoas dizem que ajuda a aliviar o estresse da vida cotidiana, oferecendo a oportunidade de relaxar e se concentrar enquanto fortalecem e tonificam o corpo. Esticar os músculos nos exercícios de Pilates pode aliviar o estresse e a dor, e pode desencadear respostas de sono natural. No entanto, são necessários mais estudos clínicos para ver se há um claro benefício para as pessoas com doença de Parkinson.

Pilates pode aumentar sua força e resistência, tonificando e alongando os músculos abdominais. Ao fortalecer os músculos centrais e realinhar a coluna vertebral, o Pilates pode melhorar sua postura e equilíbrio, reduzindo assim o número de quedas e lesões.

Acredita-se que esta terapia ajuda na integração deficiente entre corpo e cérebro, comum na doença de Parkinson. As mensagens que o cérebro envia através da coluna e dos músculos circundantes (sistema nervoso central) irão trabalhar de forma mais eficaz se o seu sistema nervoso central estiver funcionando bem. Isso deve significar uma melhora na função motora e na coordenação.

As técnicas de respiração também são uma parte importante do Pilates, ajudando a fornecer oxigênio para o corpo, bem como melhorando os níveis de energia.

Se você acha que alguns dos movimentos são difíceis, converse sobre o assunto com seu instrutor, já que ele pode sugerir adaptações nas técnicas para atender às suas necessidades.