Aromaterapia

Aromaterapia é uma prática antiga que utiliza óleos essenciais (essências de plantas aromáticas) para melhorar o bem-estar físico, psicológico e emocional. As pessoas com doença de Parkinson muitas vezes procuram a aromaterapia para melhorar a sua qualidade de vida.

Embora haja pouca evidência científica sobre os benefícios da aromaterapia para a doença de Parkinson, os benefícios têm sido estudados na população em geral. Muitas pessoas dizem que parece ajudar a relaxar e é estimulante. Se os problemas relacionados com o estresse podem ser aliviados, então alguns sintomas da doença de Parkinson causados por estresse pode também melhorar com a aromaterapia.

Há duas maneiras práticas em que os óleos essenciais são administrados:

  • Através da pele, usando massagem ou simples aplicação sobre a pele;
  • Por inalação.

As moléculas dos óleos essenciais viajam dentro da corrente sanguínea e metabolizam no organismo para promover o bem-estar físico, mental e emocional.

A aromaterapia é uma técnica especializada e devem ser consideradas as necessidades individuais para decidir quais óleos serão usados. Os óleos essenciais são extremamente poderosos e devem ser usados com cuidado, por isso sempre procure um aconselhamento, siga as instruções cuidadosamente e informe o seu médico sobre qualquer tratamento.

Os benefícios potenciais da aromaterapia para a doença de Parkinson incluem:

  • Físicos: dores musculares e dores em geral, rigidez e dor nas articulações, fraqueza muscular, constipação, má circulação e cólicas podem ser tratadas por massagem, seja no corpo inteiro ou localmente em torno da área afetada;
  • Mental e emocional: depressão, ansiedade, insônia, náusea e dor de cabeça podem ser tratadas pela massagem e/ou inalação.