A próxima pesquisa do Parkinson será realizada no espaço

No dia 14 de agosto de 2017, a NASA lançou o foguete Falcon 9 da empresa SpaceX, levando a bordo todos os tipos de suplementos para a Estação Espacial Internacional. Na bagagem há uma amostra da proteína LRRK2, que será usada especialmente para o estudo das contribuições genéticas da mesma na doença de Parkinson.

Sobre o estudo

O estudo é realizado graças a uma aliança entre a Fundação Michael J. Fox para pesquisa de Parkinson e o Centro de Ciências Espaciais Avançadas (CASIS, por sua sigla em inglês). Os pesquisadores acreditam que incapacitando o crescimento da proteína LRRK2 pode-se prevenir ou reduzir o desenvolvimento da doença em alguns pacientes. Do mesmo modo, ao obter mais informações sobre a proteína, pode-se desenvolver novos medicamentos e tratamentos para a doença.

Em um espaço com menos gravidade, como a Estação Espacial Internacional, a proteína pode crescer muito mais, dizem os pesquisadores. Isso permitirá que eles a observem com melhor resolução e assim a compreendam com maior precisão em um aspecto tridimensional. Isso proporcionará informações cruciais no desenvolvimento da pesquisa sobre a doença e seus tratamentos.

Em uma declaração, a Fundação Michael J. Fox anunciou que eles estão muito entusiasmados com a possibilidade de explorar novas formas de entender a doença. É a primeira vez que este tipo de experimento é realizado e ainda há um longo caminho a percorrer para entender melhor a doença de Parkinson.

Busque ajuda

Se você quiser ajuda para encontrar um neurologista especializado na sua região, preencha o nosso formulário para entrarmos em contato com você: http://parkinsoneeu.com/recupere-sua-vida/. E continue aprendendo mais sobre o Parkinson aqui no nosso blog, na nossa página do Facebook e no nosso canal no YouTube.

Fonte: https://www.michaeljfox.org/foundation/news-detail.php?parkinson-protein-blasting-off-to-space