Não pare de se movimentar

Os recentes avanços no tratamento da doença de Parkinson, tais como a estimulação cerebral profunda, permitem que a qualidade de vida do paciente seja muito melhor do que anos atrás. Diferentes tratamentos são capazes de reduzir muitos dos problemas e sintomas como tremor, rigidez muscular e dificuldade de movimentos e coordenação. A atividade física é um complemento para essas terapias.

É crucial que o paciente e sua família estejam cientes da importância de ter uma vida ativa, fazendo execícios físicos regularmente, que sejam suaves e dinâmicos, mas não muito exigentes. Além de permitirem uma melhoria no estado físico e mental, também influenciam na coordenação e ajudam no fortalecimento dos músculos.

É muito importante fazer exercícios que fortalecem a mobilidade e equilíbrio, para que a pessoa note uma melhora substancial em seus movimentos. Um estudo feito por pesquisadores da Northwestern University encontrou evidências de que uma pequena quantidade de exercícios pode impactar na progressão da doença. A recomendação deles é que se exercitar por pelo menos 2,5 horas por dia ajuda a melhorar os sintomas motores.

Temos algumas dicas que também podem ajudar:

  • Experimente exercícios como caminhada, natação, jardinagem, dança, hidroginástica ou alongamento;
  • Tente não se mover muito rapidamente;
  • Use roupas confortáveis e equipamentos seguros para fazer os exercícios;
  • Se você notar que está se arrastando, pare e verifique a sua postura;
  • Varie as atividades e aprenda a reconhecer quando o seu corpo estiver cansado;
  • Olhe sempre para frente, e não para baixo, durante a caminhada;
  • Convide um amigo, familiar ou cuidador para se exercitar com você.

O seu médico pode sugerir que você consulte um fisioterapeuta para avaliar os seus sintomas e desenvolver um programa de exercício para o seu caso. A fisioterapia ajudar a amenizar sintomas comuns, como o tremor, através de exercícios que ajudam na estimulação das funções motoras.

O mais importante sempre é não parar de se movimentar!

Fontes:
http://www.parkinson.org.br/firefox/index.html
http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/parkinsons-disease/basics/lifestyle-home-remedies/con-20028488
http://www.upi.com/Health_News/2017/03/23/Study-finds-exercise-25-hours-a-week-slows-Parkinsons/8431490281158/
http://epda.eu.com/living-well/wellbeing/diet-exercise-and-physical-wellbeing/exercise/