A diferença entre um Neurologista e um Neurologista especializado em Distúrbios de Movimento

A diferença entre um Neurologista e um Neurologista especializado em Distúrbios de Movimento

A neurologia é o ramo da medicina que trata distúrbios do sistema nervoso. O sistema nervoso é um sistema complexo e sofisticado que regula e coordena as atividades do corpo e tem duas grandes divisões:

  • Sistema nervoso central: cérebro e medula espinhal;
  • Sistema nervoso periférico: todos os outros elementos neurais, como olhos, ouvidos, pele e outros “receptores sensoriais”.
O que faz um Neurologista?

Um médico especializado em neurologia, chamado de neurologista, trata distúrbios que afetam o cérebro, a medula espinhal e os nervos, como: doença cerebrovascular, doenças desmielinizantes do sistema nervoso central, distúrbios de dor de cabeça, distúrbios neurodegenerativos, além de outras, incluindo as doenças do movimento, como a doença de Parkinson.

Um neurologista geral conhece de tudo um pouco, passeando por todas as áreas da neurologia de forma competente. Dr. Felipe Saba esclarece que ele se ocupa de todas as doenças que envolvem o sistema nervoso central e periférico. “Trata-se de um campo muito vasto e de doenças muito complexas, por isso se faz necessária uma subespecialização”, diz.

E o que faz um Neurologista especializado em Distúrbios de Movimento?

Dr. Flávio Sallem explica que a principal diferença entre um Neurologista e um Neurologista especializado em Distúrbios de Movimento é o conhecimento completo e aprofundado para oferecer ao paciente um diagnóstico preciso e encontrar a melhor forma de tratamento.

Nas fases moderadas e avançadas do Parkinson os pacientes podem apresentar flutuações motoras, tais como ‘tempo off’ e discinesias, e sintomas não-motores como transtornos do sono, autonômico, cognitivo e comportamental, relata Dra. Lorena Broseghini. “O tratamento quando conduzido por um especialista, pode abranger um ajuste medicamentoso mais detalhado e, em casos selecionados, avaliar a indicação cirúrgica”, diz a neurologista.

Dr. Flávio Sallem complementa explicando que “o neurologista especializado conhece todos os pormenores relacionados à especialidade, e consegue dar um panorama detalhado de cada caso, tratando cada um de forma individual e mais focado na atualidade, especialmente os pacientes em estado mais grave ou que apresentem situações fora do comum, como nos casos de parkinsonismos atípicos (doenças que simulam a doença de Parkinson, mas possuem fisiopatologia, etiologia e evolução completamente diferentes)”.

Importante ressaltar que os neurologistas, especializados ou não em distúrbios de movimento, não realizam cirurgia. Se um paciente é apto e necessita de cirurgia, o neurologista o encaminha para um neurocirurgião.

Se você deseja encontrar um neurologista especializado na sua região, preencha o nosso formulário para entrarmos em contato com você: http://parkinsoneeu.com/recupere-sua-vida/. E continue aprendendo mais sobre o Parkinson aqui no nosso blog, na nossa página do Facebook e no nosso canal no YouTube.

Apoio dos médicos:
Dr. Flávio Sekeff Sallem, MD, PhD, Neurologista.
Dr. Felipe Saba, Neurologista.
Dra. Lorena Broseghini Barcelos, Neurologista
*As opiniões expressadas pelos médicos, pesquisadores e especialistas não representam, necessariamente, as opiniões do Parkinson e Eu e da Medtronic. Trate com o seu médico a sua informação para diagnóstico e tratamento. Apenas o seu médico pode determinar qual terapia é ideal para você.