Carta ao Meu Cuidador

Querido amigo,

Você sabe que sou parkinsoniano! E você já sabe que essa doença não é infectocontagiosa e nem hereditária.

Você já sabe que ela avança lentamente e que há medicamentos que podem ajudar…

Fica ao meu lado! 

As vezes tenho dias bons e outros não…

Os medicamentos controlam alguns dos meus tremores. 

Se as minhas mãos ou pés tremem, eu sento-me na mão ou ponho-a no bolso!

Aja naturalmente, trate-me como você sempre fez.

Se você pensa que já não me divirto porque não dou mais gargalhadas, você se engana, quando parecer que estou olhando vago pra você ou pareço ser inexpressivo, esse é um dos sintomas dos Parkinson, que você amigo (a) já sabe e conhece muito bem.

Eu ouço e quero me comunicar e interagir normalmente, mas saiba, eu carrego aqui dentro de mim coisas que só quem é parkinsoniano sabe… não é porque eu não consigo dizer, que eu não tenho algo a dizer…

Tenho a mesma inteligência, simplesmente, é difícil mudar a minha expressão facial e ou parar de tremer e ou fazer-me entender! 

Como sinto dificuldade de engolir, chego até a babar.

Incomoda-me, por isso, mantenho sempre um lenço a mão.

Você observará que minha voz as vezes é mais alta e as vezes é mais fraca. Também é da doença de Parkinson. Por favor, procure ouvir-me com paciência.

A mesma química cerebral que causa meus movimentos lentos, também me faz falar devagar.

Quando eu quiser participar da conversa, deixe-me falar…

Deixe-me comunicar…

Deixe-me socializar… Me auxilie nisso.

Ao tentar levantar-me, verifico que mal posso me mexer, talvez esteja acabando o efeito do medicamento, esta rigidez é também parte da doença de Parkinson. 

Ajuda-me a andar mais rápido!

Só tenho duas velocidades; lenta e mais lenta.

Preciso fazer exercícios e preciso andar todos os dias,  2 a 3 km já é suficiente. 

Vem comigo, pois com você me acompanhando, divirto-me e tenho mais ânimo para andar o que preciso. 

Pode ser uma caminhada lenta, mas chegaremos!

Se eu quase cair ou andar inclinado para a frente, sei que você estará comigo. 

Você sabe que nem sempre estou ciente do que faço.

Devo fazer exercícios todos os dias para alongar-me, flexionar-me, movimentar a musculatura e tornar os músculos mais fortes e flexíveis.

Meu (minha) cara (o) cuidador (a), venho te pedir que caso a insônia aconteça e você perceba que estou a vaguear pela casa à meia-noite e eu me queixar que não consigo dormir, a culpa é da doença de Parkinson, não tem nada a ver com o que eu comi ou com a hora que fui dormir. 

Às vezes durmo uma vez durante o dia; assim posso dormir um pouco. Nem sempre consigo controlar quando me sinto cansado ou com vontade de dormir.

Por favor paciência! Preciso de você e que entenda que agora sou mais lento por causa da doença de Parkinson.

Preciso de cuidados e de amigos, quero continuar a ser parte de sua vida e quero que continue fazendo parte da minha, pois você é muito importante para mim.

Deixa-me vivenciar as suas experiências e compartilhe comigo todo seu carinho, pois sou eternamente grato por ter você aqui comigo, me ensinando como caminhar, me ajudando para eu não errar, estendendo as mãos pra me mostrar o maior dos dons: o dom do cuidar, da paciência e da generosidade.

Meu muito obrigado!!!

Apoio:

Associação dos Parkinsonianos de Minas Gerais – ASPARMIG
Texto cedido por Janette de Melo Franco
Acesse para saber mais: https://asparmig.com.br/