Tratamentos Farmacológicos

 

Embora você possa usar medicamentos para a doença de Parkinson a fim de melhorar a função motora, é possível que, ao longo do tempo, eles percam a sua eficácia, causando efeitos colaterais, ou ambos. Além disso, como a patologia progride, os níveis de medicamento que são necessários para o controle da função motora podem causar efeitos colaterais intoleráveis ou indesejáveis.

  • Fármacos dopaminérgicos (incluindo Levodopa): classe de medicamentos com ação semelhante a da dopamina, que é utilizado para tratar os sintomas da doença;
  • Inibidor da descarboxilase: medicamento usado com a Levodopa para tratar os sintomas;
  • Agonistas de dopamina: classe de fármacos que se ligam a receptores de dopamina e mimetizam a ação da mesma;
  • Anticolinérgicos: classe de medicamentos que relaxam o músculo liso e usados principalmente para tratar tremores da doença;
  • Inibidores da monoamina oxidase B (MAO-B): classe de fármacos usados para tratar todos os sintomas da doença de Parkinson. Estas drogas bloqueiam uma enzima que degrada a dopamina, permitindo que fique mais tempo no receptor.
  • Inibidores de catecol-O-metiltransferase (COMT): classe de medicamentos que se ligam a receptores da dopamina e mimetizam a ação da mesma.