Efeitos Colaterais do Tratamento

Inicialmente, os tratamentos para a doença de Parkinson podem funcionar bem, mas, eventualmente, os efeitos colaterais podem surgir. Além disso, se você tem tomado medicação por algum tempo, você pode experimentar o 'fim da deterioração de dose' ou flutuações motoras. Muitas vezes, acredita-se que são estes sintomas, quando na verdade são efeitos colaterais dos medicamentos:

Discinesia

A Discinesia ocorre em várias condições médicas e é o termo utilizado para descrever movimentos não intencionais, involuntários e incontroláveis. Estes incluem empurrões, torções ou apenas inquietação, mas não tremor. Discinesia não deve ser confundida com tiques, que são movimentos repentinos, repetitivos, não ritmados, que envolvem grupos musculares isolados, tais como piscar ou pigarro.

Diferentes partes do corpo podem ser afetadas, mas as áreas mais comuns são os membros e tronco. Discinesia afeta cada pessoa de forma diferente, tanto em sua duração, como em frequência e gravidade. Pode interferir significativamente com as atividades ou pode ser leve e quase imperceptível. Da mesma forma, pode afetar uma grande parte do dia, ou pode ocorrer apenas antes ou logo depois de tomar os medicamentos.

De um modo geral, na Discinesia os movimentos são rápidos e semelhantes a um baile, ao contrário dos movimentos de outra condição chamada distonia, que provoca espasmos musculares involuntários e contrações sustentadas. A distonia é mais lenta e dolorosa, forçando o corpo a posições não naturais. Em alguns momentos é possível experimentá-los simultaneamente.

Comportamento compulsivo e impulsivo

O comportamento compulsivo é quando alguém tem um impulso irresistível de agir de uma maneira particular. A motivação é a perspectiva de prazer ou recompensa, sendo que o comportamento compulsivo pode continuar mesmo quando uma pessoa não tem qualquer recompensa ou prazer de suas ações.

Uma incapacidade de resistir a tentação de executar certas atividades é conhecida como Comportamento de controle impulsivo (ICB) ou Transtorno do controle do impulso (CID).

Tal comportamento pode causar danos a pessoa e àqueles ao seu redor, pois geralmente destoa do comportamento comum e a pessoa pode não estar ciente dessa mudança em sua personalidade.

Alucinações e delírios

Uma alucinação é uma forte percepção de algo que realmente não existe. Isto pode ser visualizado, ouvido, sentido, cheirado ou provado. As alucinações são, às vezes, confundidas com ilusões, que são distorções da realidade, em vez de algo que é puramente imaginário, tais como alucinações.

Alucinações visuais

Na doença de Parkinson as alucinações são mais comumente visuais e podem ser em preto e branco, colorida, estática ou em movimento. Imagens muitas vezes envolvem pequenos animais e crianças, e podem desaparecer rapidamente ou pode levar algum tempo.

Alucinações auditivas

Alucinações auditivas (ouvir coisas que não existem) são menos comuns. Estes geralmente envolvem ouvir vozes ou outros sons familiares.

Alucinações táteis

As alucinações podem ser táteis, ou seja, você pode ter uma sensação de tocar em algo.

Alucinações do olfato e paladar

Menos comumente você pode sentir que tem um gosto de algo que não tenha comido, pode cheirar algo que não esteja presente, como aromas de cozimento de alimentos ou fumo.

Alucinações não são ameaçadoras ou angustiantes. Se você alucinar, você pode não estar ciente de que suas percepções não são reais e, às vezes, imagens ou sensações podem ser confortáveis. Porém, as alucinações também podem ser uma fonte de estresse e levando a sentir-se ameaçado ou com medo, podendo necessitar de conselho daqueles que o cercam.

Fonte: EPDA